Benvindos ao Blog da Família Luz

Queridos leitores amigos,

Nossas aventuras em um veículo de recreação (motor-casa) começaram em julho de 2006, nos apaixonamos por este estilo de vida, a família ficou mais unida e ao mesmo tempo livre. Já mudamos de equipamento várias vezes, os motorhomes (motor-casa) sempre foram chamados de SCOOBY, em homenagem ao personagem Scooby-doo. Já o trailer (treiler, em português) tem outro nome, que caracteriza muito bem nossa identidade estradeira:
Turiscar Estradeiro.
Recentemente, vendemos o trailer e compramos novamente um motorhome grande, um Mercedes-Benz 371.

Se quiserem ver fotos do nosso primeiro equipamento é só dar uma olhada no link do nosso primeiro blog:

http://patagoniademotorhome.nafoto.net (fotoblog)

http://patagoniademotorhome.zip.net (blog que descreve nossa viagem à patagonia argentina).

Na paz e no amor...na liberdade!

Atualmente, além de campistas, auxiliamos a venda de veículos de recreação (Motorhomes e Trailers usados). Saiba mais em nosso site: www.luizefrancinimotorhomes.com.br

Saudações Estradeiras!






terça-feira, 5 de março de 2013

Morro do Pai Inácio - Chapada da Diamantina (BA)



Saindo de Brasília, com destino a Maceió, passamos pela Chapada da Diamantina (BA). Já é a segunda vez por lá e sempre é bom parar para observar a natureza. Na primeira vez que estivemos em Lençóis e Mucugê, eu estava com o pé machucado e não pude subir no Morro do Pai Inácio. Desta vez, não perdi a chance de me aventurar até o topo desse morro com 1.120 metros de altitude e 250 metros de altura, onde se tem a visão mais completa e bonita da Chapada.

Sua flora, composta por bromélias, orquídeas, cactos e musgos, encontra os lugares mais improváveis para se desenvolver, como as fissuras das rochas.

Vista da BR-242 e do restaurante, onde deixamos o motorhome estacionado e sguimos de carro até uma trilha.


Localizado no município de Palmeiras, o morro do Pai Inácio fica ao lado da BR-242. A melhor opção é seguir de carro por um acesso asfaltado até uma torre de telefonia. De lá, segue-se a pé por um trilha bem marcada por mais 20 minutos. A trilha é tranquila e não oferece grandes dificuldades. Só não esqueça de passar protetor solar e levar uma garrafa d'água para hidratar.



Eu e o Luiz adoramos esse tipo de aventura e aproveitamos para fazê-las enquanto ainda temos força nas pernas para a subida. Essa subida é tranquila, mas mesmo assim é preciso certo condicionamento físico.


A vista é maravilhosa e faz todo o esforço valer a pena.





O nome do morro, diz a lenda, refere-se a um feito heróico de Pai Inácio, escravo que namorava às escondidas com a filha do coronel Horácio de Matos. Perseguido pelos capangas do coronel, Pai Inácio teria subido o morro e, sem ter para onde fugir, pulado com um guarda-chuvas aberto. Segundo a tradição popular, o escravo conseguiu sobreviver e escapar pelo vale.



A felicidade de poder estar em um lugar como este é algo difícil de explicar, é preciso sentir. Naquele momento, tivemos vontade de dar as mãos e olhar para o infinito e para o sol, em agradecimento por aquele momento único em nossas vidas!

4 comentários:

  1. Esta postagem como todas as outras foi feita pela minha esposa e como sou grato a ela. A escrita esta em uma sintonia perfeita com as fotos.
    Em breve deveremos retornar novamente a este lugar maravilhoso porque somos aventureiros.
    Obrigado por voce existir.
    Te amo
    Luiz Luz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido aventureiro do meu coração, te amo, te amo, te amo!

      Excluir
  2. Gostei da narrativa e fotos. Parabéns pelo espirito aventureiro, é bem nosso estilo de viagens que também fazemos pelo mundo.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Denise, fico feliz que gostou do blog. Um feliz 2016 repleto de viagens e aventuras para você. Abraços!

      Excluir