Benvindos ao Blog da Família Luz

Queridos leitores amigos,

Nossas aventuras em um veículo de recreação (motor-casa) começaram em julho de 2006, nos apaixonamos por este estilo de vida, a família ficou mais unida e ao mesmo tempo livre. Já mudamos de equipamento várias vezes, os motorhomes (motor-casa) sempre foram chamados de SCOOBY, em homenagem ao personagem Scooby-doo. Já o trailer (treiler, em português) tem outro nome, que caracteriza muito bem nossa identidade estradeira:
Turiscar Estradeiro.
Recentemente, vendemos o trailer e compramos novamente um motorhome grande, um Mercedes-Benz 371.

Se quiserem ver fotos do nosso primeiro equipamento é só dar uma olhada no link do nosso primeiro blog:

http://patagoniademotorhome.nafoto.net (fotoblog)

http://patagoniademotorhome.zip.net (blog que descreve nossa viagem à patagonia argentina).

Na paz e no amor...na liberdade!

Atualmente, além de campistas, auxiliamos a venda de veículos de recreação (Motorhomes e Trailers usados). Saiba mais em nosso site: www.luizefrancinimotorhomes.com.br

Saudações Estradeiras!






sábado, 30 de junho de 2012

San Francisco, Califórnia

Saímos de Curitiba às 16:00h e ainda em São Paulo, na correria e aperto do aeroporto de Guarulhos, deu tempo de jantar o tradicional arroz com feijão. Adeus feijão! Eu e as meninas não sentimos falta, mas o Luiz...


Bem, nosso vôo até Washington D.C. durou 9 horas e logo após pegamos um vôo de conexão até San Francisco que durou 5 horas, lembrando que voamos do leste para o oeste e o fuso horário atrasou. Portanto, estamos com uma diferença de 4 horas com relação ao horário de Brasília. Conclusão, tivemos a sensação de que o tempo não passava, enfim o dia foi longo e cansativo. Chegamos em San Francisco às 11:30h, mas para nós parecia ser 15:30h.



No aeroporto de San Francisco
Fomos direto para o hotel que fica no bairro Union Square onde deixamos as malas e já saímos para conhecer as principais atrações do bairro.


Handlering Union Square Hotel





As 43 montanhas e colinas da península que abriga São Francisco emolduram uma das mais belas e cosmopolitas cidades dos Estados Unidos. A vista que se descortina para o visitante, esteja ele em qualquer uma das ruas da cidade, é simplesmente deslumbrante. Quatro ilhas (Alcatraz, Angel, Yerba Buena e Treasure) reúnem a história sobre a região, que mostra a todos os turistas que chegam em San Francisco os atrativos culturais e naturais que fazem ela receber, anualmente, mais de 16 milhões de visitantes.


Ilha de Alcatraz




Union Square (foto tirada do 6º andar da loja Macy's)

 A Union Square pode ser considerada como o centro do centro e ao seu redor estão diversos restaurantes, bares, cafés, dezenas de estabelecimentos comerciais, lojinhas de souvenirs e outros. O nome original da praça, dado em 1941, foi escolhido como homenagem às tropas que lutaram pela manutenção da união do país durante a guerra civil. Cercada de lojas elegantes e hotéis de luxo, esta é agora uma das áreas mais nobres do centro.

A Macy´s está sorteando uma viagem para o Rio de Janeiro

A cidade trata muito bem os turistas brasileiros, o Brasil está com a bola da vez aqui, estão até sorteando viagem para o Rio de Janeiro, tem até uma seção da loja Macy´s com produtos brasileiros. No aeroporto, o taxista era brasileiro, depois pegamos outro taxista que falava espanhol e também um pouco de português.


Cercada nos três lados por água, o clima de São Francisco é muito influenciado pelas correntes frias do Oceano Pacífico. O tempo da cidade é ameno o ano inteiro, caracterizado por um clima temperado  com verões  relativamente quentes e invernos relativamente frios. A temperatura média no inverno é de 10 °C, raramente caindo abaixo de zero, e a temperatura média no verão é de 15 °C. Por sorte estamos acostumados com o clima de Curitiba, com a diferença que em San Francisco venta muito mais e mesmo no verão é necessário usar uma jaqueta leve para proteção. A combinação do calor do solo californiano e do frio do Oceano Pacífico causam constantemente névoa e neblina nos verões de São Francisco.


O famoso bonde

Lombard Street

 Caminhar por San Francisco exige certo preparo físico. A sucessão de subidas e descidas em toda parte podem tornar uma caminhada curta numa prova de resistência. Um dos pontos de maior inclinação é Lombard Street. Ela é conhecida como a rua mais torta do mundo, seu trajeto é todo em zig zag, fazendo 10 curvas fechadas em apenas uma quadra. 




Fisherman´s Wharf
O Fisherman's Wharf já é uma lenda da cidade. Na beira da baía, este antigo atracadouro de pescadores agora é um ponto turístico animadíssimo, com diversos restaurantes, museu de cera e lojinhas de todo tipo. O painel redondo que aparece ao fundo da foto acima demarca o centro desta região.Este é o hot point da cidade e aqui se encontram coisas para todos os gostos, desde lojas de malha, passando por artigos eletrônicos até barraquinhas vendendo casquinhas de siri. 





Outra atrações turística da cidade é o Pier 39. Inicialmente um simples cais de pescadores o Pier 39 foi transformado num parque de diversões sobre as águas, onde estão ainda bares, restaurantes, exposição de animais marinhos, lojinhas vendendo artigos típicos e uma feira de frutas e outros produtos.



Na região à beira mar, entre o Pier 39 e o Fisherman´s Wharf existem dezenas de barcos oferecendo roteiros pela baía de San Francisco, ou então passeios mais longos, em mar aberto. Um passeio típico de uma hora inclui passar por baixo da Golden Gate e circular a ilha de Alcatraz, que funcionou como prisão de segurança máxima até 1963, e teve como um de seus hóspedes mais famosos o gângster Al Capone.





Ponte Golden Gate, San Francisco



A Ponte Golden Gate merece uma postagem individual, devido à beleza e história. Localizada na entrada da baía de São Francisco (EUA), é considerada um marco na construção de pontes pênseis. Concluída em 1937, com o maior vão até então atingido, 1.280 m, a ponte manteve o título de a mais longa do mundo até 1964, ano em que foi inaugurada a ponte Verrazano Narrows (NY), com 1.298 m de vão. A ponte é um local frequente para suicídios. A queda dura aproximadamente quatro segundos e quem salta da ponte atinge a água a uma velocidade de 120 km/h, que é quase sempre fatal. Desde que foi terminada, a ponte já foi interditada cinco vezes por causa dos ventos (1951, 1982, 1996 e 2005). Os ventos de 1982 foram particularmente fortes o suficiente para fazer movimentos visíveis na ponte, ondulando para os lados.
Pegamos um taxi no Pier 39 e fomos para a ponte. Já era meio dia, mas na ponte não tinha sol devido à intensa neblina, muito comum nesta época do ano.












 










 

terça-feira, 26 de junho de 2012

Viagem USA: roteiro de carro de San Francisco a Miami

Estamos em contagem regressiva para mais uma aventura. Desta vez a família Luz vai para os Estados Unidos. Vamos cortar o país de oeste a leste, mais especificamente de San Francisco à Miami, de carro.
Veja, no mapa abaixo, as principais cidades por onde vamos passar:



LEGENDA
A: San Francisco, California
B: San Luis Obispo, California
C: Los Angeles, CA
D: Las Vegas, Nevada
E: Park City, Utah
F: Aspen, Colorado
G: Denver, Colorado
H: Kansas City, Kansas
I: St. Louis, Missouri
J: Nashville, Tenessee
K: Orlando, Florida
L: Miami, Florida

Já alugamos o carro e reservamos os hotéis, as malas estão prontas, falta um dia para o embarque. Na quarta-feira, 27 de junho, pegaremos o avião Curitiba-São Paulo-Washington-San Francisco. Os aventureiros já estão ansiosos, coração vibrando de alegria, contando as horas para conhecer novas paisagens e pessoas. A medida do possível estaremos postando as novidades e os encantos de cada lugar por onde vamos passar durante o período de 22 dias.
Em estado de graça, na paz, no amor e na alegria. Assim vamos nós, cortando a barreira do tempo e do espaço para viver cada momento único em Unidade e União. Saudações!!!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Corupá (SC), rota das cachoeiras.

Em junho de 2008, a aventura da vez foi a rota das cachoeiras de Corupá-SC, também conhecida por "Capital Estadual da Banana". Localizada ao norte catarinense, município que faz limite Norte: São Bento do Sul, Sul: Rio dos Cedros, Leste: Jaraguá do Sul, Oeste:Rio Negrinho. Cidade colonizada por italianos, alemães e poloneses. Fundada em 1897.
A topografia acidentada e com muitas pedras em seus rios e ribeirões deu nome a cidade.
Corupá significa, na linguagem tupi guarani, lugar de muitas pedras.



Parque Municipal Ecológico Emílio Batistela
É o local mais visitado por turistas e moradores. Nele estão 14 cachoeiras, num verdadeiro santuário ecológico. Em média leva-se 1 hora e 20 minutos para chegar na última cachoeira, em trajetos dentro da mata. As maiores quedas d´águas são: Salto Grande, Boqueirão, Surpresa e Três Patamares.

Um lanchinho antes da aventura

As gatinhas do parque



Cachoeira do suspiro



Uma paradinha para descanso, ufa!!!





Foi divertido e cansativo ao mesmo tempo. Alguns, como eu, desistiram na 4ª ou 5ª cachoeira. No meu caso, faltou preparo físico, não tive força nas pernas para subir tantos degraus. Mas valeu a pena mesmo assim.

Abaixo, os alegres finalistas dessa emocionante jornada até à 14ª cachoeira:



Ufa, que canseira!



domingo, 3 de junho de 2012

Caverna do Diabo, um maravilhoso mundo subterrâneo

Em agosto de 2007 visitamos a Caverna do diabo. Foi um dia muito divertido, a família toda reunida no nosso motorhome Scooby (o primeiro).
Abaixo algumas fotos e um pouco da história desse lugar maravilhoso que vale a pena conhecer.






Caverna do Diabo é uma caverna existente no Parque Estadual de Jacupiranga, município de Eldorado Paulista.
Trata-se da maior caverna do Estado de São Paulo.
Desde sua descoberta, sua história é povoada pelas mais incríveis lendas. Justamente por isso, a Caverna do Diabo é um lugar que merece ser visitado pessoalmente. A apenas 280 quilômetros de São Paulo e uns 210 km de Curitiba, no município de Eldorado, não é totalmente aberta à visitação pública. Dos 3 mil e 200 metros de extensão da caverna, apenas 400 metros estão livres para os turistas. Esta área dispõe de sistema de som e luz, passarelas, escadas e corrimãos. A longa estrada de terra que conduz à caverna e os sobes e desces em seu interior, constitui, sem dúvida, uma aventura para quem tem fôlego.




A entrada da caverna fica a 500 metros de altitude e, lá dentro, o cenário é surpreendente. Curiosas estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita intrigam especialistas e turistas que tentam desvendar os mistérios do lugar. As estalactites se formaram com a penetração da água no solo e, posteriormente, na camada de calcário, até atingir o teto da caverna. As estalagmites se elevam do solo, numa proporção estimada em três centímetros por século, o que justifica a preocupação dos guias e guardas da caverna com a degradação de seu interior.


De um lado ao outro da caverna registra-se um desnível de 150 metros, o que impossibilita o acesso de pessoas inexperientes na maior parte de sua extensão. Somente espeleólogos têm permissão para ultrapassar os limites pré-determinados.





 As formações mais interessantes podem ser vistas no salão conhecido como Catedral. A beleza do lugar dá asas à imaginação. Talvez, por isso, algumas dessas formas ficaram eternizadas com nomes um tanto quanto estranhos, quase todos dados pelo grupo paulista de espeleologia "Os Aranhas": Cabeça de Ema, Guardião, Galeria dos Órgãos, Pia Batismal, Branca de Neve, Cemitério, Perfil de Buda, Reis Magos, Templo Perdido, Caldeirão do Diabo e Torre de Pisa.










Passando por esta galeria atinge-se um lago de águas represadas do Ribeirão das Ostras. À direita está o setor superior, aberto aos turistas. E descendo, à esquerda, acredita-se que há um incrível e sinistro labirinto com cerca de cinco mil metros de corredores e galerias subterrâneas na mais profunda escuridão. Neste trecho, que conduz ao centro da Terra, é proibida a entrada, pois, segundo a lenda, o diabo percorre diariamente esse caminho.

Outras coisas fascinantes podem ser vistas lá em baixo, num percurso, ora dentro das águas do ribeirão, ora nas rochas. São cachoeiras, lençóis de água e o lago do Silêncio, com 200 metros de extensão. Em alguns momentos, para se ultrapassar os obstáculos, é necessário o uso de cordas até ter a certeza de estar pisando em solo seguro. Dentro da caverna, o silêncio só é quebrado pelas águas que deslizam pelas rochas.

Mas, lá dentro, o som é diferente. No interior da caverna tem-se a impressão de estar no maior lugar do mundo e, ao mesmo tempo, no menor cantinho, prestes a desabar. No ar sente-se o cheiro do perigo.

Para maiores detalhes sobre localização e preço do ingresso veja o site: http://www.cavernadodiabo.com.br/